NACO DE COSMOS

Um resto de estrelas
Um naco de cosmos

-no fecho do olho
 nutro a lágrima-

Bebo na brasa do sol
 minha enésima dose de luz
-sonho com a cor-

graveto grifando a paisagem

sombreio...
no esfuminho do tempo...
o carvão da vida.

-eu eterno e único-
Nada.
                                      Gilberto Felinto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APENAS IR ME

GOTA DE EXISTÊNCIA