APENAS IR ME


Quero ir me apenas...
partir em qualquer direção
sem a certeza do sim
ou a aspereza do não.

quero ir me apenas
sem solene despedida...
na incerta e desmedida
emoção...
de quem perdeu ganhou
e bateu levou na vida.

quero ir me apenas...
sem trancar o portão
nem abrir a ferida.
sem limpar o porão
sem retorno e acolhida.
sem pássaro na mão
sou a ave abatida.

quero ir e voltar
como água do mar
a enchente a vazante
o nascente e o poente...
quero seguir em frente
até me encontrar.

Gilberto Felinto.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

GOTA DE EXISTÊNCIA

SAL DO TEMPO