VAGO E PLURAL

Nesses confins há reticências
víveres ourives e afazeres
os vagalumes,lanca-perfumes,aos - bel-prazeres.

Os joões-ninguém e os tudo tem,
os louva-a-deus dizendo amém,
salvos-condutos desses
insossos.

pés-de-moleque nos vaivéns,
dão pontapés viram reféns,
nos quebra-quebras, curtos e grossos.

os vai-e-volta os leva-e-traz,
os caga grosso tem o endosso desses omissos,
o osso nosso de cada dia ,
a covardia estapafúrdia e arredia,
a melodia dos padres-nossos.

             Gilberto Felinto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APENAS IR ME

GOTA DE EXISTÊNCIA